2ª Reunião Anual dos Centros de Desenvolvimento Regional

Publicado em: 15/12/2020
Autor: Silvia de Souza Leão
Assunto: Reuniões
Tempo de leitura: 4 minutos

O evento reúne as agências nacionais e estaduais de financiamento.

A BioTec-Amazônia, a convite do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), participa da 2ª Reunião Anual dos Centros de Desenvolvimento Regional (CDR). O evento é realizado em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o Ministério da Educação (MEC) e acontece em ambiente online, na quinta-feira (17), às nove horas. A BioTec-Amazônia, na oportunidade, vai relatar a trajetória do Centro de Desenvolvimento Regional do Estado do Pará  – Região Metropolitana de Belém (CDR/PARÁ-RMB); as propostas dos alvos temáticos prioritários emergidas dos grupos e, finalmente, consolidadas e homologadas, por unanimidade, no momento da plenária final da 1ª Oficina CDR e a Homologação da Carteira de Projetos CDR/PARÁ-RMB, com 65 projetos de pesquisa, onde os autores das propostas puderam participar, de maneira virtual, de reunião com membros da equipe CDR/PA – RMB e do CGEE.

Membros da equipe CDR/PA – RMB, junto com Marcio Miranda do CGEE, durante 2ª Oficina.
(Foto: Ascom CDR)

A iniciativa faz parte de um estudo sobre o tema CDR, demandado pela Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação (Sesu/MEC) ao CGEE. A reunião tem como principal objetivo ouvir os coordenadores dos centros sobre o processo de governança, o alcance de financiamento dos projetos da carteira dos CDR; e o impacto geral no território que o programa causou. O CDR/PA – RMB é o primeiro projeto-piloto na Região Amazônica e que se predispõe a apoiar a organização de uma agenda de ações das instituições de base técnico-científica, no sentido de atender ao interesse do desenvolvimento de suas regiões.

Encontros virtuais foram necessários para dar celeridade aos trabalhos durante a pandemia.
(Foto: Ascom CDR/PA)

A criação dos CDRs também conta com a participação de representação parlamentar, via Centro de Estudos e Debates Estratégicos (CEDE) da Câmara dos Deputados, e de outras instituições de fomento ao ensino, à pesquisa, à ciência e à tecnologia no Brasil, como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e as fundações de amparo a pesquisa (FAP) dos Estados. Tais representações partem do pressuposto de que as unidades de ensino superior e as demais instituições de ciência e tecnologia precisam ter papel preponderante no processo de geração do desenvolvimento regional.

CDR/PA – A Associação BioTec-Amazônia foi a vencedora da Chamada Pública de âmbito regional, lançada em março de 2020, pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos – CGEE, sediado em Brasília, com a finalidade da implementação de Centro de Desenvolvimento Regional – CDR no Estado do Pará. O CDR é um projeto que visa promover a discussão e a implantação de agendas de desenvolvimento que possam estimular a economia da região e fomentar a geração de emprego e renda, um dos pilares do desenvolvimento regional.

A interação entre os atores ocorre por meio de processos participativos como oficinas, fórum de debates e no decorrer da aplicação do projeto de pesquisa. No Brasil o projeto é coordenado pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos – CGEE, organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC. Atualmente, seis são os CDRs instalados no país: CDR/ Pará – Região Metropolitana de Belém; CDR Região de Campina Grande; CDR Sul de Tocantins; CDR Distrito Federal; CDR Sudoeste Paulista e CDR Campanha.

Reunião virtual com os autores das pesquisas selecionadas
para a Carteira de Projetos CDR/PARÁ-RMB.
(Foto: Ascom CDR/Pará)

No mês de janeiro de 2020, o presidente do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), Marcio Miranda, que participou de reunião por videoconferência na BioTec-Amazônia, explicou a essência do CDR. “A metodologia do CDR precisa de um engajamento de quem está atuando no território. Conversar com prefeitos, com lideranças políticas, empresariais, trazer a academia para perto dessa conversa, é quando o nosso trabalho, assim como o da Organização Social BioTec-Amazônia, ajuda muito. A BioTec é uma articuladora do trabalho em Belém. Reuniões precisam ser realizadas, projetos precisam ser discutidos, os documentos de gestão da BioTec falam exatamente disso. Em alguns trechos parece até que a gente antecipava o papel da BioTec no desenvolvimento regional”, disse Marcio Miranda.

Associação – Em atendimento à chamada pública do CGEE, a BioTec-Amazônia apresentou a sua manifestação de interesse e todas as suas credenciais que a levaram a ser selecionada para a implementação de Centro de Desenvolvimento Regional – CDR no Estado do Pará. A BioTec-Amazônia tem por finalidade promover o uso sustentável da biodiversidade amazônica, em especial do estado do Pará, para fins de desenvolvimento econômico e social, além de iniciativas associadas a cadeias produtivas já instaladas ou em fase de instalação para a promoção de planos de negócios, visando à produção e comercialização de fitoterápicos, o investimentos em P&D de novos medicamentos fitoterápicos, fitocosmésticos e fármacos em geral, além do apoio aos arranjos produtivos locais e cadeias produtivas nas áreas de plantas medicinais, imunobiológicos e fitoterápicos, visando fornecer os necessários insumos para a produção de medicamento e fortalecimento e profissionalização dos núcleos e centros tecnológicos de inovação.